Agradecemos os telefonemas

Recebemos telefonemas, em nossa Casa em Maputo,  retificando que a foto e  matéria que saiu no último post: Santo Antônio da Polana, na realidade é a Catedral de Maputo dedicada a Nossa Senhora da Conceição e foi construida em 1944, situa-se na Praça da Independência e inicio da Av. Samora Machel, ao lado do edificio do Conselho Municipal, antiga Câmara Municipal de Lourenço Marques.

Ver: Catedral de Santo Antônio da Polana

Abaixo inserimos a foto da igreja de Santo Antônio da Polana, em estilo moderno:

polana

Santo Antônio da Polana

 

A Catedral de Santo Antônio da Polana

Catedral e a Igreja de Santo António da Polana, em Maputo

 

dsc013931
A Catedral, que se situa na Praça da Independência (ex-Praça Mouzinho de Albuquerque), demorou 8 anos a ser construida, sendo inaugurada em 1944 pelo Cardeal Cerejeira. O edifício, em betão armado, é da autoria de Freitas e Costa.

 

 

o0o

Ladainha a Santo Antônio

Senhor, tende piedade de nós. Jesus Cristo, tende piedade de nós.

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
R/.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
R/. Jesus Cristo, atendei-nos.

Pai do Céu que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho, Redentor do mundo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo, que sois Deus,
Santíssima Trindade, que sois um só Deus,

Santo Antônio de Lisboa, rogai por nós.
Santo Antônio, advogado dos aflitos,
Santo Antônio, discípulo amado de São Francisco,
Santo Antônio, que fizestes extraordinários milagres,
Santo Antônio, que falastes aos peixes,
Santo Antônio, modelo de pureza,
Santo Antônio, modelo de austeridade,
Santo Antônio, dotado de sabedoria,
Santo Antônio, exemplo de caridade,
Santo Antônio, cheio de amor divino,
Santo Antônio, padrão de virtudes,
Santo Antônio, paciente,
Santo Antônio, bondoso,
Santo Antônio, humilde,
Santo Antônio, desprendido dos bens terrenos,
Santo Antônio, que tivestes nos braços o Menino Jesus,
Santo Antônio, amigo dos aflitos,
Santo Antônio, amigo dos necessitados,
Santo Antônio, amigo dos que invocam o vosso auxílio,

Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo,
R./
perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo,
R./
atendei-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo,
R./ tende piedade de nós.

Oremos. Senhor, humildemente Vos suplicamos o perdão dos nossos pecados, e auxílio em todas as nossas necessidades espirituais e materiais.
Pelos méritos e intercessão do nosso glorioso servo, Santo Antônio, possamos nós encontrar, junto do vosso trono de justiça, abrigo e aceitação.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pobre pulmão verde!

 

Antes de me recolher, aqui em Maputo, procurei consultar através da internet alguns jornais paulistanos, para obter notícias dessa grande capital. E qual não foi minha surpresa ao me deparar com as seguintes manchetes:

 

Em dia de trânsito recorde, São Paulo registra 56 acidentes e 13 atropelamentos. (Folha de São Paulo) e Trânsito em SP chega a 293 km e bate recorde; situação melhora  ainda  São Paulo tem recorde histórico de congestionamento (Estado de São Paulo)

293 Km! É muita coisa. Fiquei a imaginar o estrago que isso pode fazer na atmosfera com os gases poluentes que são emitidos pelos veículos. E encontrei também, e deixo aqui aos leitores do blog, antes de desligar o computador o seguinte dado para pensarmos um pouquinho…

 

 

 CONTAMINAÇÃO DO AR

 

Provocada pela emissão de gazes tóxicos e gerada por três tipos de combustão: de veículos automotores, que emitem óxido de nitrogênio, monóxido e dióxido de carbono, dióxido de enxofre, derivados de hidrocarbonetos e chumbo, responsáveis por 40% da poluição atmosférica nas grandes cidades; de industriais químicas, siderúrgicas, fábricas de cimento e papel e refinarias de petróleo; e de queimadas e incineração de lixo doméstico e industrial, responsáveis por emissão de fumaça.

Embora haja quem o conteste, a maioria dos cientistas acredita que essa contaminação da atmosfera é a principal causa da formação de chuva ácida e do efeito estufa. Nos seres humanos, ela provoca distúrbios respiratórios (asma, bronquite), alergias, lesões degenerativas no sistema nervoso e em órgãos vitais, ardência dos olhos, dor de cabeça e até câncer. Esses distúrbios são agravados

durante o inverno, quando ocorre a inversão térmica e uma camada de poluentes fica presa perto do solo por uma camada de ar frio.(***)

 

Pobre “pulmão verde”, que se encontrar ao redor  de São Paulo!

________________________________________________________________________

 

(***)(1) José Luis A. Assumpção, Eng.º de Segurança

(2) Osvaldo Luis Gonçalves Quelhas, D.Sc.

(3) Gilson Brito Alves Lima, Eng.º de Segurança, M.Sc.

(4) Oscar Erthal de Souza, Eng.º de Segurança

UFF – CTC – LATEC – Pós-Grad. em Engenharia de Segurança do Trabalho

Caixa Postal 100-175 – CEP.: 24001-970 – Niterói – RJ – TeleFax. (021) 717-6390

Email: [email protected]

Louvores à Maria

Nas tardes quentes de Maputo, vindas de várias partes da cidade, debaixo da maforeira reúnem-se para rezar à Santíssima Virgem, Cooperadores dos Arautos do Evangelho. Pedem por suas necessidades, pela Igreja, pelo mundo.

 

 

Mãe: ternura, carinho, holocausto!

Oferecemos a bela oração de São Bernardo, como homenagem as mães de todo mundo!

Mães em Maputo, levam seus filhos para o Batismo.

Mães em Maputo, levam seus filhos para o Batismo.

 

 

Exortação a invocar Maria, a Estrela do mar (*)


(São Bernardo 1090-1153)

E o nome da Virgem era Maria (Lc. 1,27). Falemos um pouco deste nome que significa, segundo se diz, Estrela do mar, e que convém maravilhosamente à Virgem Mãe. … Ela é verdadeiramente esta esplêndida estrela que devia se levantar sobre a imensidade do mar, toda brilhante por seus méritos, radiante por seus exemplos.

Ó tu, quem quer que sejas, que te sentes longe da terra firme, arrastado pelas ondas deste mundo, no meio das borrascas e tempestades, se não queres soçobrar, não tires os olhos da luz desta estrela.

Se o vento das tentações se levanta, se o escolho das tribulações se interpõe em teu caminho, olha a estrela, invoca Maria.

Se és balouçado pelas vagas do orgulho, da ambição, da maledicência, da inveja, olha a estrela, invoca Maria.

Se a cólera, a avareza, os desejos impuros sacodem a frágil embarcação de tua alma, levanta os olhos para Maria.

Se, perturbado pela lembrança da enormidade de teus crimes, confuso à vista das torpezas de tua consciência, aterrorizado pelo medo do Juízo, começas a te deixar arrastar pelo turbilhão da tristeza, a despenhar no abismo do desespero, pensa em Maria.

Nos perigos, nas angústias, nas dúvidas, pensa em Maria, invoca Maria.

Que seu nome nunca se afaste de teus lábios, jamais abandone teu coração; e para alcançar o socorro da intercessão dEla, não negligencies os exemplos de sua vida.

Seguindo-A, não te transviarás; rezando a Ela, não desesperarás; pensando nEla, evitarás todo erro.

Se Ela te sustenta, não cairás; se Ela te protege, nadas terás a temer; se Ela te conduz, não te cansarás, se Ela te é favorável, alcançarás o fim.

E assim verificarás, por tua própria experiência, com quanta razão foi dito: E o nome da Virgem era Maria”.

†São Bernardo

(*) Louvores da Virgem Maria, Super missus, 2ª homília, 17 – apud Pierre Aubron SJ, L’oeuvre mariale de Saint Bernard, Editions du Cerf, Paris, Les Cahiers de la Vierge, nº 13-14, março de 1936, pp. 68-69

A importância de perseverarmos na oração!

[local /files/2009/04/canto-a-maria.wmv nolink]

Uma das condições para nossos pedidos serem atendidos é a importunidade, virtude evangélica tão recomendada por Nosso Senhor. Ele mesmo conta aquela parábola do homem que vai pedir pães ao amigo que está dormindo.

Nas tardes quentes em Moçambique, em Maputo bem perto do Índico, sob o olhar maternal da Imagem de Nossa Senhora de Fátima, se reunem na Casa dos Arautos para rezar os Cooperadores. Seguindo o conselho de Nosso Senhor:

Se algum de vós tiver um amigo, e for ter com ele à meia-noite e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, porque um meu amigo acaba de chegar à minha casa de viagem e não tenho nada que lhe dar; e ele, respondendo lá de dentro disser: Não me sejas importuno, a porta já está fechada, os meus filhos estão deitados comigo; não me posso levantar para te dar coisa alguma. Se o outro perseverar em bater, digo-vos que, ainda que ele se não levantasse a dar-lhos, por ser seu amigo, certamente pela sua importunação se levantará e lhe dará quantos pães precisar. Eu digo-vos: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai , e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque todo aquele que pede, recebe; e o que busca, encontra; e ao que bate, se lhe abrirá.

Se um filho pedir pão, qual é entre vós o pai que lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir um peixe, dar-lhe-á ele, em vez de peixe, uma serpente? Ou se lhe pedir um ovo, porventura dar-lhe-á um escorpião? Se pois vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais o vosso Pai celestial dará espírito bom aos que lho pedirem. (Lc 11, 5-13)

15 anos do ISMMA

O Instituto Superior Maria Mãe da África  fundado há quinze anos  desenvolveu até aqui um importante papel no ensino superior de Moçambique. Criado para formar religiosos, religiosas e agentes pastorais, o ISMMA acabou abrangendo toda a população e hoje e uma referencia no mundo universitário moçambicano. Para  esta memorável comemoração vieram até Maputo as duas primeiras diretoras, que juntamente com a atual diretora foram homenageadas. “Por estas frágeis  mãos, hoje nos temos uma solida instituição. Tudo começou com uma pepita (Referencia a primeira diretora, (Ir. Pepita) passou pela caridade (referencia a ir. Caridade, segunda diretora) e hoje temos a ponte para o futuro (referencia a atual diretora, Ir. Everly Ponte). O solene ato ocorreu no Centro Cultural Universitário da Universidade Eduardo Mondlaine, onde afluiu numeroso publico, alunos e autoridades.

Instituro Superior Mãe da África
Instituro Superior Mãe da África

    

  Corte do tradicional bolo de aniversário, nos jardins do IMAS.

Deus abençoe a África

 

Gaudium Press - todos direitos

Camarões (Terça, 17-03-2009, Gaudium Press)

O Papa Bento XVI fez hoje, assim que desembarcou no aeroporto de Yaoundé, capital camaronense, o primeiro discurso de seu pontificado em território africano. O Papa se dirigiu a dezenas de representantes das esferas política e civil e a autoridades religiosas que esperavam para recepcioná-lo.

Em seu discurso, Bento XVI falou sobre a pobreza no continente e da necessidade da Igreja no continente servir a todos os seus fiéis e ser porta-voz da liberdade e da justiça. Disse também que medicamentos para quem é portador do vírus HIV deveriam ser distribuídos gratuitamente no continente e saudou o desenvolvimento camaronense.

Veja, a seguir, a íntegra do primeiro discurso do Papa na África:
“Senhor Presidente

Distintos Representantes das Autoridades Civis,

Cardeal Tumi,

Meus Irmãos Bispos,

Caros irmãos e irmãs,

Muito obrigado pelas calorosas boas-vindas. Obrigado, senhor Presidente, por suas gentis palavras. Eu agradeço com alegria o convite para visitar Camarões e por isso quero expressar minha gratidão a você e ao presidente da Conferência Episcopal Nacional, arcebispo Tonyé Bakot. Eu saúdo todos que me honraram com as suas presenças nesta ocasião, e quero que saibam como estou agradecido em estar aqui com vocês em solo africano, pela primeira vez desde a minha eleição para o Trono de Pedro.

Eu calorosamente saúdo meus irmãos Bispos bem como o clero e os fiéis leigos que estão aqui reunidos. Minhas respeitosas saudações também para os representantes do governo, autoridades civis e o corpo diplomático. Desde que este país, como tantos outros na África, está chegando ao 50º aniversário de sua independência, eu desejo unir minha voz ao coro de parabéns e de bons votos que os seus amigos de toda a parte do mundo irão oferecê-los na feliz ocasião. Eu reconheço com gratidão também a presença de membros de outros credos Cristãos e seguidores de outras religiões. Ao se juntarem a nós, hoje, vocês oferecem um claro sinal da boa vontade e da harmonia que existe neste país entre pessoas de diferentes tradições religiosas.

Eu venho a vós como pastor, venho para confirmar meus irmãos e irmãs na fé. Este foi o papel que Cristo confiou a Pedro na Última Ceia, e este é o papel dos sucessores de Pedro. Quando Pedro pregou para multidões em Jerusalém no Pentecostes, havia visitantes da África presentes entre eles. E o testemunho de muitos grandes santos deste continente durante os primeiros séculos do Cristianismo – Saint Cyprian, Saint Monica, Saint Augustine, Saint Athanasius, para nomear apenas alguns – garante uma posição distinta para a África nos anais da história da Igreja. Até os dias atuais, ondas de missionários e mártires continuaram a dar o testemunho de Cristo pela África, e hoje a Igreja é abençoada com quase 150 milhões de fiéis. Como agregá-los, é a tarefa que o sucessor de Pedro deve trazer para a África, para celebrar com todos vós o dom da fé em Cristo que sustenta e alimenta tantos dos filhos e filhas deste grande continente!

Foi aqui em Yaoundé, em 1995, que mee venerável predecessor, Papa João Paulo II, promulgou a Exortação Ecclesia Pós-sinodal e Apostólica na África, fruto da Primeira Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos, ocorrida em Roma. De fato, o décimo aniversário daquele momento histórico foi celebrado com grande solenidade na mesma cidade há não muito tempo. Eu venho aqui para entregar o Instrumentum Laboris para a Segunda Assembleia Especial, que vai acontecer em Roma em outubro.

O Sínodo dos Bispos irá refletir o tema: “A Igreja na África a Serviço da Reconciliação, Justiça e Paz: ‘Você é o sal da terra… Você é a nova luz do mundo’ (Mt 5: 13-14)”. Quase dez anos novo milênio adentro, este momento de graça é um chamado para todos os Bispos, padres, religiosos e leigos e fiéis do continente para rededicarem a si mesmos à missão da Igreja de levar esperança para os corações de todas as pessoas da África, e também do mundo todo.

Mesmo em meio a grande sofrimento, a mensagem cristã sempre traz esperança; a vida de Santa Josefina Bakhita oferece um exemplo cristalino da transformação que um encontro com o Deus vivo pode trazer para uma situação de grande dificuldade e injustiça. Em face ao sofrimento ou à violência, pobreza ou fome, corrupção ou abuso de poder, um Cristão não pode jamais permanecer em silêncio. A mensagem de salvação do Evangelho precisa ser proclamada em alto e bom som, de forma que a luz de Cristo possa brilhar na escuridão da vida das pessoas.

Aqui na áfrica, como em muitas partes do mundo, incontáveis homens e mulheres esperam há muito por ouvir uma palavra de esperança e conforto. Conflitos regionais deixam milhares de desabrigados ou desalojados, órfãos ou viúvos. Em um continente que, em tempos passados, viu tantas de suas pessoas serem capturadas e comercializas mar afora para trabalhar como escravas, hoje o tráfico humano, especialmente das frágeis mulheres e crianças, se tornou uma nova forma de escravidão. Em um momento de escassez global de alimentos, turbulência financeira e mudança climática, a África sofre desproporcionalmente: mais e mais de seus povos estão virando presas da fome, da pobreza e da doença. Eles clamam por reconciliação, justiça e paz, e isso é o que a Igreja lhes oferece. Não novas formas de opressão econômica ou política, mas a gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Não a imposição de modelos culturais que ignorem os direitos dos não-nascidos, mas a pura água curadora do Evangelho da vida. Não amargas rivalidades inter-étncias ou interreligiosas, mas a retidão, paz e alegria do Reino de Deus, tão bem descrito por João Paulo II como a civilização do amor.

Aqui em Camarões, onde mais de um quarto da população é Católica, a Igreja está posicionada para levar adiante sua missão de cura e reconciliação. No Centro Cardeal Léger, eu devo observar a solicitude pastoral desta igreja local para com os doentes e os sofridos; e é particularmente recomendável que aqueles que sofrem de Aids recebam tratamento gratuito em seu país. Educação é mais um elemento-chave para o ministério da Igreja, e agora nós vemos os esforços de gerações de professores missionários dando fruto no trabalho da Universidade Católica da África Central, um símbolo de grande esperança para o futuro da região.

Camarões é uma verdadeira terra de esperança para muitos na África Central. Milhares de refugiados de países da região dilacerados por guerras foram bem-vindos aqui. É uma terra de vida, com um governo que fala em defesa dos direitos dos não-nascidos. É uma terra de paz: ao resolver pelo diálogo a disputa sobre a península Bakassi, Camarões e Nigéria mostraram ao mundo que paciente diplomacia pode realmente gerar frutos. É uma terra de juventude, abençoada com uma população jovem cheia de vitalidade e vontade de construir um mundo mais justo e pacífico. Corretamente, é descrita como “África em miniatura”, lar de mais de 200 grupos étnicos diferentes que vivem em harmonia um com o outro. Essas são todas razões para agradecer e dar graças a Deus.

Como eu venho entre vocês hoje, eu rezo para que a Igreja aqui e por toda a África continue a crescer em santidade, no serviço da reconciliação, justiça e paz. Eu rezo para que o trabalho da 2ª Assembleia Especial Sinodal dos Bispos possa distribuir os dons que o Espírito despejou sobre a Igreja na África. Eu rezo por cada um de vocês, por suas famílias e entes queridos e eu lhes peço para que se unam a mim em oração por todas as pessoas deste vasto continente. Deus abençoe Camarões! E Deus abençoe a África”

Uma esperança no Continente da Esperança

Após quase dez horas de viagem, deixando para trás o avermelhado deserto na Namíbia o avião aterrisou em terras moçambicanas. A emoção era forte. Pela primeira vez encontraríamos o pujante grupo de Arautos do Evangelho em terras de missão…

________________________________

Khanimambo!!!

Ano Paulino nas Paróquias da Arquidiocese de Maputo.

Logo após SS Bento XVI ter lançado o Ano Paulino, o Arcebispo de Maputo, D. Francisco Chimoio, OFM Cap, empenhou-se em promover em toda sua Arquidiocese a peregrinação por todas as paróquias da imagem de São Paulo. Preparou um folheto explicativo, com missa própria à visita, cânticos e, sobretudo com um breve relato da imensa obra missionária do Apostolo.

Todas Paróquias se empenharam e na foto podemos ver uma pequena comunidade rural, São Pedro e São Paulo do Nkobe, da Paróquia Missão da Sagrada Família da Machava, sendo sensibilizada por um Arauto sobre a ilustre visita. Alem da explanação os Arautos prepararam uma peça de teatro em que “Sao Paulo” e “São Barnabé” dirigem uma “carta” aquela Comunidade.

Já na Paróquia de Nossa Senhora da Assumpção da Liberdade a imagem foi recebida por toda a Comunidade, com muita alegria e desejo de que São Paulo fosse ali muito venerado. (outra foto). A imagem foi transladada numa camioneta, acompanhada pela fanfarra dos Arautos. Na foto, esta chegando a Paróquia da Liberdade.

Na sede dos Arautos ela foi vivamente venerada e na despedida todos jovens quiseram registrar numa foto histórica aquela santa presença entre eles. Por fim, a imagem foi levada a Comunidade de Santana do Mastrong, onde o Pároco, Pe. Alvaro Lopez, IMC, despediu-se da bela imagem, com palavras calorosas, em nome de todos paroquianos.

(Correspondente: José Eduardo Pinheiro)

Nossa Senhora das Graças

Atendendo o apelo de Nossa Senhora das Graças, em sua aparição a Santa Catarina Labouré. Os Arautos do Evangelho fizeram uma programação com jovens, na cidade de Maputo, para contar essa bela história, através de palestra e audio-visual. Foi mostrada a importância para nossos dias da divulgação da Medalha Milagrosa. Os presentes receberam como lembranças medalhas da Virgem e também livros referentes à aparição em 1830 na França

Moamba

O Revmo Pe. Fernando Goicochea, salesiano, diretor da Escola Profissional D. Bosco, na cidade de Moamba, a 50 km de Maputo,convidou aos Arautos do Evangelho para animarem o encerramento das aulas. Esta escola desenvolve um amplo trabalho de formação profissional, eletricidade, carpintaria e serralheria, alem da parte acadêmica equivalente ao segundo grau. Atende especialmente a meninoscarentes, mais de 150, com internato, alem de 80 moças da vila de Moamba.

A programação começou com a santa Missa celebrada na Paróquia de Moamba, com a presença do Revmo. Pe. Luis Belo, paroco. Depois da bênção final os alunos acompanharam a fanfarra dos Arautos à escola. Na parte recreativa a fanfarra tocou várias músicas, especialmente na hora dos prêmios concedidos aos melhores alunos. Uma apresentação dos instrumentos e de algumas musica forammuito aplaudidas pelo auditório da escola, completamente cheio. Pe. Fernando Goicochea enviou aos Arautos um belo cartão de São Domingos Sávio com bonitas palavras de agradecimento e incentivo.

Khongolote

Nesta época do ano ocorre o encerramento da catequese em todas paróquias de Moçambique. Todos catequistas querem deixar uma boa impressão na alma de seus alunos para que possam retornar no anoseguinte com mais Fé e entusiasmo. Preparam-se despedidas muito festivas e coloridas.Em algumas paróquias os Arautos do Evangelho contribuem para alcançarem esses objetivos.

As fotos são da Paróquia Santa Maria Mãe de Deus do Khongolote. Além da animação da fanfarra dos Arautos, que é aclamadacom muita vivacidade, foi representada a historia de D. Afonso, o rei espanhol, que nao conhecia o rosário, mas gostou do objeto e resolveu portá-lo permanentemente. O rosário foi deixado por dois monges que o visitaram (foto). Apos algum tempo todos do reino estavam a rezar o rosário e o rei teve uma visão que por este benéfico ato ele teria um tempo mais de vida e deveria neste período rezar efetivamenteo rosário.Os jovens catequizando acompanharam encantados especialmente pelo colorido das roupas e no final aplaudiram longamente.

O bom costume de fazer um encerramento da catequese serve-nos paraaquilatar a expansão da Fé neste País. O Papa João Paulo II afirmouque a África é o continente da Esperança. Neste simples fato pode seperceber o quanto a fé aqui tem caminhado e ainda pode caminhar muito mais.

Festa da Assunção em Maputo, na Casa dos Arautos

Nesse último, 15 de agosto, Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, o Papa Bento XVI não realizou a Audiência Geral, das quartas-feiras, sim celebrou Missa Solene na paróquia de São Tomás, em Castel Gandolfo ao meio dia rezou o Angelus.

Abaixo a íntegra do Ângelus:

“Caríssimos irmãos e irmãsCelebramos hoje a solenidade da Assunção da Virgem Maria. Se trata de uma festa antiga, que há em seu fundamento último na Sagrada Escritura: Esta, de fato, apresenta a Virgem Maria estreitamente unida a seu Filho divino e, sempre a Ele, solidária. Mãe e Filho aparecem estreitamente associados na luta contra o inimigo infernal até a vitória plena sobre ele.Esta vitoria exprime-se em particular na superação do pecado e da morte, isto é na superação daqueles inimigos que São Paulo apresenta sempre juntos. Por isso, como a ressurreição gloriosa de Cristo foi o sinal definitivo desta vitória, assim a glorificação de Maria também no seu corpo virginal constitui a confirmação final da sua plena solidariedade com seu Filho tanto na luta quanto na vitória. De tal profundo significado teológico do mistério, se fez intérprete o Servo de Deus Papa Pio XII, no pronunciamento de 1º de novembro de 1950, na solene definição dogmática deste privilégio mariano. Ele declarava: “Em tal modo a Augusta Mãe de Deus, misteriosamente unida a Jesus Cristo fim de toda eternidade com um mesmo decreto de predestinação, Imaculada na sua concepção, virgem casta na sua divina maternidade, generosa sócia do Divino Redentor, que conseguiu um pleno triunfo sobre o pecado e sobre suas conseqüências, ao fim, como supremo coroamento de seus privilégios, obtém de ser preservada da corrupção do sepulcro e, vence a morte, como outrora o seu Filho, de ser exaltada em alma e corpo à gloria do Céu, onde resplende Rainha à direita do seu Filho, Rei imortal dos séculos”.Caríssimos irmãos e irmãs, assunta ao céu, Maria não é longe de nós, mas está agora muito próxima e a sua luz se projeta sobre nossa vida e sobre a história da humanidade inteira. A graça do fulgor celeste da Mãe do Redentor, recorremos com confiança aquela que do alto nos guarda e nos protege. Precisamos todos do seu auxilio e do seu conforto para afrontar as provas e desafios de todos os dias, precisamos senti-la mãe e irmã nas concretas situações da nossa existência.E para poder dividir um dia também nós, para sempre, o seu mesmo destino, imitemo-la na doce parte de Cristo e no generoso serviço dos irmãos. É este o único modo para desfrutar, já nessa nossa peregrinação terrena, a alegria e a paz que vive com plenitude que chega a meta imortal do Paraíso”.

Na casa dos Arautos em Maputo, houve missa celebrada pelo Vigário da Paroquia, Pe. Manuel Tavares, em comemoracao da Festa da Assuncao de Nossa Senhora, também as intençoes foi pelo Padre João Clá Dias, que aniversaria nessa data.

Entrevista Arcepisbo de Maputo para os Arautos de África do Sul

Entrevista de Dom Francisco Chimoio Arcebispo de Maputo para os AE

AE -Estamos aqui recebendo o Arcebispo de Moçambique D. Francisco Chimoio e a delegação moçambicana que esteve na Jornada Mundial da Juventude, com o Papa na Austrália. Gostaríamos de perguntar a Dom Chimoio, qual a mensagem que ele trouxe para os jovens e qual a meta que o Santo padre teve com o congresso da juventude na Austrália.

Dom Chimoio – Muito obrigado a todos, mais uma vez tenho a oportunidade de saudar-vos e de vos desejar um bom trabalho. A nossa viagem como delegação de Moçambique para a Austrália correu bem, foi um tanto longa, mas valeu apena. E de fato tivemos a possibilidade de nos reunirmos ao lado do Santo Padre, com outros jovens de outras dioceses e nações. Éramos 400 bispos e uns 500 mil jovens, que afluíram aquela terra. Esperávamos que não fosse tanta gente dada a distância que é grande, mas esta foi vencida pela vontade que todos os jovens tiveram de querem partilhar com os outro a sua Fé, a sua Esperança a sua Caridade.

A mensagem que de fato norteou todo este encontro com o Santo Padre foi que de fato cada jovem no seu pequeno mundo onde vive não se sinta como ilha, seja também como parte integrante do povo cristão em caminho, isto é, cada saber tomar sobre si mesmo, as responsabilidades da sua vocação de cristã, serem testemunhas de Jesus ressuscitado. Isto significa ter o coração aberto, um coração sincero, um coração que é cheio de amor e um coração disponível para acolher e fazer frutificar a obra trazida por Jesus. Ser dócil ao espírito do Senhor e também uma das coordenas que mais sublinhou o Santo Padre. Teve a possibilidade de crismar alguns jovens de algumas nações. E mesmo a sua mensagem sublinhava esta grande necessidade que todo cristão tem de transformar o ambiente em que ele vive. O cristão não se deve conformar com a mentalidade deste mundo. Deve transformar-se e dar realmente luz no meio de tanta treva que vêem. Criar condições para sermos de fato pacíficos, para sermos também anunciadores e sobre tudo para sermos discípulos de Jesus, que passou toda sua vida fazendo o bem, que nos ensinou o caminho para ir ao Pai, que nos fez compreender que nos temos valor. Que nos fez compreender também que Deus nos considera seriamente e seriamente nos devemos também corresponder ao nosso Deus.

É esta mensagem, queridos irmãos, que vai nos orientar ao longo destes anos que nos separam da próxima Jornada Mundial da Juventude.

AE– Muito obrigado Dom. Francisco por suas palavras e gostaríamos de pedir as suas orações para que a juventude corresponda a todos os anseios do Santo Padre . Muito obrigado e boa viagem de regresso a Maputo.

0o0

Os AE em Johannesburgo organizaram a passagem da comitiva vinda Moçambique para a Austrália. Como não há vôo direto de Maputo para Sidney, eles vieram de ônibus de Maputo até Johannesburg (8 horas) e daqui tomaram o avião para Sidney. Isto foi na ida e na volta. Organizamos o almoço na ida e os conduzimos até o aeroporto e na volta foi o jantar em nossa casa e depois a partida novamente de ônibus para Maputo. Eram 35 pessoas, incluindo o Arcebispo Dom Francisco Chimoio, cinco sacerdotes e jovens catequistas e líderes de grupos de jovens de diversas paróquias de Moçambique.

Nossa Senhora em visita aos Núcleos

Nossa Senhora em visita aos Núcleos

A Paróquia de Nossa Senhora da Assumpção, do bairro da Liberdade em Maputo, Moçambique, está promovendo a visita da Imagem da Padroeira, venerada sob este título, a todos os seus Núcleos.
Aqui em Moçambique as Paróquias e Comunidades católicas são constituídas por Núcleos. Estes Núcleos são formados por diversas famílias, abrangendo um determinado espaço geográfico no bairro. Normalmente, cada Núcleo é composto por uma média de 30 famílias, que se reúnem semanalmente em uma das casas de seus membros para rezarem, ouvirem e partilharem as Leituras Sagradas e também tratarem de assuntos de interesse comum às mesmas famílias ou concernentes às realidades sociais do Bairro.

Como uma preparação para os dias da comemoração da Padroeira, o Pároco decidiu que a Imagem de Nossa Senhora passasse um dia em uma casa escolhida em cada Núcleo. Assim, entre o entardecer e o início da noite, Nossa Senhora tem percorrido as ruas do Bairro em procissão, ao som de cânticos intercalados pela recitação do Rosário.
A presença de Nossa Senhora nas ruas e lares do bairro tem sido um fator de grande afervoramento na piedade dos fiéis.
O período total das visitas deve durar 1 mês, encerrando-se alguns dias antes da Festa da Assumpção, que neste ano será em 17 de agosto.

Mastrong está em festa.

Maputo, 27 de julho de 2008.

Hoje, a Comunidade de Sant’Ana de Mastrong está em festa.

Nesta pujante e fervorosa Comunidade, pertencente a Paróquia de Nossa Senhora da Assumpção, no Bairro da Liberdade, a alegria era geral, em uma manhã de sol radioso. Iniciando as comemorações, foram plantadas duas árvores em frente a espaçosa Capela, construída e inaugurada recentemente. Em seguida, acompanhada por centenas de fiéis, ao som de cânticos e instrumentos, foi entronizada a imagem da Padroeira.
O culto a Sant’Ana (mãe da Santíssima Virgem e avó do Menino Jesus) prestado no Oriente desde o século VI, difundiu-se pelo Ocidente no século X).

Sagrado Coração de Jesus

No dia do Sagrado Coração de Jesus, Frei Alberto Bezerra da Costa, Carmelita recém chegado de Pernambuco, para missões em África, foi à construção da Academia dos Arautos para entronizar o Sagrado Coração de Jesus naquela tão esperançosa escola. Na foto vemos o frade carmelita abençoando a imagem.

Arautos em Defesa do Meio Ambiente

Os Arautos do Evangelho, em Moçambique, participaram da campanha em defesa do Meio Ambiente, procurando através da música mostrar a importância do tema.A Igreja, sempre atenta aos problemas de seu tempo, tem feito ouvir com freqüência a sua voz, alertando para a crise que vai crescendo nas relações entre o homem e o ambiente, conseqüência da crise entre o homem e seu Criador. O Compêndio da Doutrina Social da Igreja aponta alguns aspectos da questão: “A mensagem bíblica e o magistério eclesial constituem os pontos de referência-parâmetro para avaliar os problemas que se põem nas relações entre o homem e o ambiente . Na origem de tais problemas podese identificar a pretensão de exercitar um domínio incondicional sobre as coisas por parte do homem, um homem desatento às considerações de ordem moral que devem caracterizar cada atividade humana.
Assista o vídeo abaixo, diretamente de Moçambique

Festa do Papa: Nunciatura Apostólica Moçambique

 


.

Fanfarra dos Arautos executa o Hino Pontifício

Anualmente é organizada uma festa, pela Nunciatura Apostolica, para comemorar a data eleição do Papa. Os Arautos do Evangelho estiveram em várias, no pontifícado de SS Joao Paulo II e no atual em homenagem a SS Bento XVI. Neste ano somou-se a uma muito importante para a historia da Igreja em Mocambique: 20 anos da visita de SS Joao Paulo II a Mocambique. O Nuncio Apostolico, D. Jorge Panikulan neste ano nao econimozou esforcos para que o Presidente da Republica de Mocambique, Armando Emilio Guebuza, estive presente. Por este motivo foi antecipada a data de 16 de abril para Missa Solene no dia 6, na Catedral e dia 8 a recepção na Nunciatura. Estiveram presentes todos Arcebispos e Bispos de Mocambique. Também os superiores de algumas ordens religiosas: Salesianos, Carmelitas, Orionitas, Franciscanos, Sacramentinos, etc. O presidente da República e Primeira Dama, Da. Maria da Luz Guebuza, a Primeira Ministra, Da. Luiza Diogo, Presidente da Assembleia, Eduardo Melenbwe e esposa, Ministra da Justica, Presidente do Conselho Municipal de Maputo, Enias Comiche. Além do Corpo Diplomatico e inumeros outros convidados.
O ato abriu-se com a oração feita pelo Emmo. Cardeal D. Alexandre Jose Maria dos Santos, seguido pelo canto do Hino Nacional e Hino Pontificio tocados e cantados pelos Arautos do Evangelho. Segiu-se o jantar durante o qual a fanfarra dos Arautos tocou um vasto repertório. Ao final, o Presidente da Conferencia Episcopal de Mocambique, que pasou a palavra ao Aercebispo de Maputo, D. Francisco Chimoio. O Nuncio Apostolico pronunciou seu discurso e logo após o Presidente da Republica dirigiu a palavra a todos.

Núncio Apostólico e Presidente da República: Moçambique

Cardeal Arcebispo Emérito de Maputo D. Alexandre José Maria dos Santos.