Um jovem país: Moçambique

Arautos do Evangelho_MoçambiqueComo é bom sentir-se protegido pelos próprios pais. Todos certamente sabem-no por experiência. A criança  vê nos seus pais o consolo quando está triste, a segurança no perigo, o auxílio nas dificuldades e até a recompensa nos esforços. São eles que  limpam as suas lágrimas e guiam-na pela mão.

Entretanto, quão grande não será a alegria de uma mãe que vê o seu filho dando os primeiros passos apoiado em seus próprios pés.
Do mesmo modo, é uma grande alegria quando uma nação deixou a fase infantil e ela mesma é capaz de guiar a sua própria marcha rumo a um futuro feito de progressos, revelando assim a maturidade de seus pensamentos e a resolução no seu caminhar.
Por ocasião do 36º.Independência_Maputo_Arautos do Evangelho 

Aniversário da independência do país, nos diversos recantos do jovem Moçambique, esta data foi solenemente celebrada no dia 25 de junho. Em Matutuine, por exemplo, a cerimônia começou com uma pequena passeata até a praça (cópia daquela em que jazem os heróis moçambicanos) no centro da Vila, onde todos, a uma só voz, exclamavam o “Viva a independência” e ao som da Banda dos Arautos do Evangelho, entoaram a plenos pulmões o Hino Nacional.Maputo_Arautos do Evangelho

A deposição de flores feita pelo Administrador de Matutuine aos pés daqueles que combateram em prol do bem estar dos seus concidadãos, testemunhou a gratidão de todos a esses heróis e serviu de penhor de levar avante o país até a sua plena realização.

As demais personalidades ali presentes, incluindo dois sacerdotes encarregados da direção espiritual dos fiéis católicos daquela vila, imitaram o gesto depositando  uma rosa no monumento. discursos, apresentações culturais, feiras, etc., deram seqüência a programação daquele dia cuja memória está cunhada a ferro em brasa nos corações moçambicanos.

Dirson Castigo Machaieie

Deixe uma resposta