Maria wakuswenga, yi kombeleli!

A Devoção a Nossa Senhora em Moçambique

Foi em torno de Nossa Senhora que se reuniram os primeiros membros da Igreja nascente. E não poderia ser de outro modo, pois Ela foi aquele farol radiante pela sua fé, que – mesmo ao pé da cruz e também durante os três dias em que Nosso Senhor Jesus

aaa

Cristo esteve sepultado brilhava intensamente. Foi também, reunidos em oração no Cenáculo – junto de Maria – que os
Apóstolos receberam o Espírito Santo. Assim, ao longo dos séculos, os fiéis de todos os tempos foram vendo em Maria Santíssima aquele caminho seguro para chegar a Jesus; aquele auxílio infalível nas dificuldades mais perplexitantes; aquele consolo nas aflições mais atrozes; aquela que é vida, doçura e esperança nossa. Desta forma, na medida em que a Igreja ia se expandindo pelos continentes, também se difundia a devoção a Nossa Senhora.

Uma rápida pesquisa poderá talvez surpreender a algum observador ao constatar o quanto a devoção a Nossa Senhora é marcante aqui na África.

Tomemos a esse título, Moçambique.

O país têm 12 dioceses. Destas, 7 têm a Virgem Santíssima como padroeira.  Mais de 90 paróquias em todo o país são dedicadas sob algum título de Nossa Senhora. Esse número seria ainda maior se considerássemos as Comunidades. Ao longo do mês de maio,  intensifica-se a reza do terço que, de modo geral é recitado todos os

 aaa1

dias nas igrejas, antes da Missa. As  legionárias de Maria são numerosas, atuantes e dedicadas. Há um Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Namaacha (Arquidiocese de Maputo) que recebe milhares de peregrinos no dia de sua festa. Centenas deles fazem a peregrinação caminhando deste Maputo até o Santuário (70 km até chegar ao alto de uma montanha). Outros provém de lugares mais distantes.  O número desses peregrinos cresce a cada ano. Na última festa, a procissão decorreu sob forte chuva e nem assim os mais de 20 mil peregrinos diminuíram o seu fervor.
No continente da esperança, que é a África, essa esperança é haurida de modo particular naquela que foi, é e será sempre a esperança nossa: Maria Santíssima.

Maria wakuswenga,  yi   kombeleli! (Maria, cheia de graça, rogai por nós!)

This entry was posted in África, ambiente, apostolado, Arautos do Evangelho, católico, Church, família, Igreja, joao cla, Maputo, missionários, Moçambique, Monsenhor João Clá Dias, Nossa Senhora, padre joao cla, Padres Arautos, países pobres, religião, roupas. Bookmark the permalink.

2 Responses to Maria wakuswenga, yi kombeleli!

  1. Vitor Domingues says:

    Lendo as vossas notícias e vendo as vossas fotografias senti que era necessário manifestar a minha admiração pelo apostolado que estão a fazer nessas terras tão pobres.

    O vosso apostolado é humilde mas cheio de mérito! Tenham a convicção que a recompensa será demasiadamente grande!

    Que Deus, por intermédio de Nossa Senhora vos continue a abençoar.

    Maria wakuswenga, yi kombeleli!

  2. Apesar da grande hostilidade preconizada e manifestada por muitos protestantes e orientais contra Ela, a Virgem tem sido respeitada e venerada mesmo com humilde devoção pelos Moçambicanos. Graças a Deus os Arautos estão em Moçambique e seu apostolado mariano chegou no momento em que os fiéis carecem desta evangelização. Espero em Deus que os Arautos se espandam por mais cidades e conquistem mais e mais almas para Nossa benigna e bendita Mãe!!! Salve Maria.

Deixe uma resposta