A messe é grande. Muito grande…

É realmente impressionante quanto a Igreja Católica tem florescido no continente africano, apesar das dificuldades que existem em seus países. A luz da fé brilha aqui em tantas almas, que torna-se difícil atender a tudo o que elas desejam para manter esta luz acesa. É também tocante ver quanto estas pessoas têm sede da verdadeira e pura devoção a Maria e aos sacramentos, que só a igreja Católica pode dar.

Por exemplo, no último domingo houve uma cerimônia de crisma na Paróquia de Nossa Senhora Aparecida em Mavalane. Foram nada mais, nada menos do que 500 crismandos! Imaginemos a alegria do bispo, sua Excia. Revma. Dom Januário, vendo aquela multidão que receberia o Espírito Santo através de suas mãos.

É conhecido quanto o número de católicos tem aumentado, sendo o continente africano aquele que mais tem dado novos filhos à Igreja. Em alguns anos, a cifra subiu de 2 milhões para 130 milhões de católicos na África.

Um pequena prova disso tem sido as atividades dos Arautos do Evangelho. Tantas foram as atividades e as solicitações nestas últimas semanas que os braços chegam a faltar. Tentaremos, neste artigo, resumir o que aconteceu. Esperamos que nossos leitores tenham paciência para nos acompanhar…

Todo o apostolado feito pelos Arautos com os jovens tem em vista o benefício da sociedade moçambicana. Por isso, fomos a algumas escolas, como a do bairro do Malhangalene, dirigida pelos padres vicentinos, para apresentar músicas religiosas aos alunos, e convidá-los, em combinação com os sacedotes e diretores, para um pequeno curso de música na própria escola.

Também muitas famílias são assistidas pelos Arautos. E da mesma forma que com os jovens, elas estão ávidas de uma boa orientação espiritual. Para isso os Arautos organizaram um programa onde pais de diversos jovens assisitiram uma Missa celebrada pelo Revmo. Pe. Arão Mazive, EP, e depois tiveram uma pequena palestra em que o Irmão Tiago Machaieie expôs a importância do estudo da Doutrina Católica para os jovens, obra levada com muito zelo pelos  Arautos na formação da juventude.

Não paramos aqui… à chegada de um novo Diácono da congregação, teve este a graças de logo poder ajudar na Paróquia da Sagrada Família da Machava, onde são nove as comunidades que precisam ser assistidas, e para o que por vezes faltam sacerdotes para celebrar a missa dominical. O Diácono Alessandro Cavalcante, EP, fez então a celebração da palavra, sendo aolhido com o tradicional carinho moçambicano, enquanto que  os outros dois sacerdotes arautos presentes em Moçambique foram para outras comunidades.

Ainda  tivemos visitas com a imagem de Nossa Senhora de Fátima, a famílias que tem dificuldade de ir à Igreja e pedem algum conforto espiritual junto à Mãe de Deus. E tantas outras coisas que seria extenso relatar aqui.

Devemos concluir que na África, em Moçambique, a messe é grande. Muito grande…

 

Procissão em Sto. Antonio do Malhangalene

A pastoral é uma das atividades que mais primam em ser desenvolvidas pelos Arautos do Evangelho em todo o mundo. O estudo, a oração, o recolhimento são feitos por eles com vistas à, unindo-se mais a Nosso Senhor Jesus Cristo, ser instrumentos mais eficazes na evangelização.

Em Moçambique estas atividades não faltam. País de grande piedade, a cada semana comemora-se alguma solenidade nas inúmeras paróquias desta arquidiocese; também não faltam os convites para que os Arautos participem com sua banda e coro, ou auxiliando na liturgia, e até mesmo fazendo alguma exposição.

No domingo 06 de julho, a convite do Pe. Inácio, pároco da paróquia de Santo Antonio do Malhangalene, aos cuidados dos padres do Verbo Divino, comemorou seu jubileu. Uma belíssima missa deu início às festividades, onde pôde-se admirar um coro magnífico, capaz de competir com os melhores do país. Seguiu-se a procissão com a imagem do padroeiro, acompanhada pelos celebrantes principais da solenidade: o Bispo auxiliar de Maputo, Dom João Carlos, e o bispo emérito Dom Januário, primeiro pároco desta paróquia, seguidos dos sacerdotes verbitas, de muitos religiosos e religiosas e de grande número de fiéis.

Esta cerimônia faz-nos pedir a Deus que proteja a Igreja de Moçambique, dando a ela contínua expansão e crescimento.