Lembranças de um congresso, no coração da África

Um pequeno brinquedo fazia nossa alegria, de menino. Era um cilindro com um orifício em uma das extremidades, que se abria para uma janela transportando-nos para um mundo de maravilhas, onde as formas brincavam com as cores: o caleidoscópio. A cada movimento no tubo, revestido de um belo papel ou veludo, fazia aparecer novas figuras e coloridos. O nome tem como origem três palavras gregas belo=καλ?ς (kalos), imagem=ε?δος (eidos) olhar ou observar=σκοπ?ω (scopeο). Observar a beleza através da imagem revista de colorido e luz. Essa sensação tem-se quando deixa-se o sul da África em direção ao centro desse Continente.

caleidoscopio.jpg
Caleidoscópio

Realiza-se um sonho de criança: morar em um mundo de cores e formas, que tem vida e movimentos próprios. Infantil pode parecer, a princípio, esse desejo. Mas quando nos deparamos com o ambiente e costumes da cidade de Yaoundé, capital, de Camarões onde realizou-se o primeiro Congresso Pan-africano promovido pelo Pontifício Conselho para os Leigos, vive-se como em um grande caleidoscópio.

A vegetação tropical exuberante, uma vida fervilhante de centenas e centenas de pessoas que caminham pelas ruas, com suas roupas já em tintas orientais, músicas, tristezas, problemas e muita fé. Traz-nos a impressão de um universo, que a todo momento desenha figuras multicoloridas.
O Congresso foi realizado na Universidade Católica de Yaoundé com representantes de centenas de países africanos. Entre os objetivos desse encontro os leigos e também movimentos novos e ordens religiosas, ali, presentes estava para estudar importantes documentos de papas, sobre os desafios do continente africano. Entre eles: A África hoje; cenários sociais, geopolíticos, econômicos e culturais pela Professora Marie-Thérèse Mengue. Jesus Cristo em terras africanas, pelo Mons. Barthélemy Adoukonou. A vocação e a missão dos leigos sobre a luz da Exortação Apostólica Sinodal Christifideles Laici, por Mons. Joseph Clemens. A formação dos fiéis leigos em África, pelo Card. Roberto Sarah. Os fiéis leigos, sal da terra de África e luz do mundo, pelo Card. Peter K.A. Turkson…

Sob o lema: Ser testemunha de Jesus Cristo na África hoje, abriu-se o evento com a Santa Missa celebrada pelo Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, o Cardeal Stanislaw Rylko. Em sua homília o purpurado afirmou a excelência da Igreja missionária, que é o amor de Cristo, o anúncio do Evangelho. O leigo é chamado a acompanhar cada batizado durante sua caminhada, nesse terceiro milênio. A Igreja tem necessidade desse apostolado, em vista dos desafios do mundo atual: novos métodos, nova forma de comunicação, de expressão.

A mensagem lida pelo Núncio Apostólico, de Camarões, Mons. Piero Pioppo enviada, especialmente para o evento, pelo Papa Bento XVI aos congressistas, lançou uma luz sobre os estudos realizados durante esses dias, no Campus de Nkolbisson.

Nela o Santo Padre apresenta como modelo de esperança a santa sudanesa Joséphine. Diz o Pontífice que “isto é o porquê, que na Encíclica Spe salvi, eu quis apresentar a santa sudanesa Joséphine Bakita como testemunha da esperança (cf.n.3), para mostrar como o rencontro com o Deus de Jesus Cristo é capaz de transformar profundamente todo o ser humano, mesmo em condições pobres – Bakita era uma escrava – para Ele dar a suprema felicidade de filha de Deus. Precisamente, “o conhecimento dessa esperança, ela estava “redimida”, já não se sentia mais uma escrava, mas filha de Deus”.(ibd) E a descoberta dessa esperança cristã suscitou um novo e irreprimível desejo:”a libertação que ela obteve com o encontro através de Deus de Jesus Cristo, ela sentia o desejo de estendê-lo, devia também dar a outros [essa experiência], ao maior número possível de pessoas.(…)1

gaudium1.jpg
O leigo é chamado a acompanhar cada batizado
durante sua caminhada, nesse terceiro milênio.

Bento XVI compara a Santa sudanesa à juventude católica africana. Também nós que estivemos presentes em Yaoundé, nos dias do congresso. Poderíamos comparar a África de nossos dias a vida da pequena Bakita: roubada de seus pais muito jovem, torturada pelos seus algozes, perseguida, vendida, sofrida, escrava, pobre, mas que com a força do Espírito Santo tudo soube suportar até encontrar a Deus, que já morava no seu interior, nas águas do batismo. Ela caminhou pela via da santidade, onde o exemplo de sua vida será reconhecido por todos os cristãos, até o fim do mundo.

O beato João Paulo II afirma no documento Ecclesia in Africa:

“O Senhor, portanto, considera-Se enviado a aliviar a miséria dos homens e a combater toda a forma de marginalização. Veio libertar o homem; veio assumir as nossas enfermidades e carregar os nossos males: de facto, ” todo o ministério de Jesus está ligado à atenção a todos os que, à sua volta, eram afetados pelo sofrimento: pessoas enlutadas, paralíticos, leprosos, cegos, surdos, mudos… (cf. Mt 8,17)”.118 “É impossível aceitar que a obra de evangelização possa ou deva negligenciar os problemas extremamente graves, debatidos sobremaneira hoje em dia, relativos à justiça, à libertação, ao desenvolvimento e à paz no mundo”:119 a libertação, que a evangelização anuncia, “não pode ser limitada a simples e restrita dimensão econômica, política, social e cultural; mas deve ter em vista o homem todo, integralmente, com todas as suas dimensões, incluindo a sua abertura para o absoluto, o próprio Absoluto de Deus”.1202

É dessa santidade, desse Absoluto de Deus, que África católica tem necessidade. Plêiades de santos que floresçam nesse Continente, que é o da Esperança. Assim ela será, para todo o Ocidente, a luz do mundo e o sal da terra.

Por Lucas Miguel Lihue

——————————————————————————

1http://www.laici.va/content/laici/es/eventi/seminari-e-congressi/essere-testimoni-di-gesu-cristo-in-africa-oggi/il-messaggio-del-papa-al-congresso-panafricano.html

2http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/apost_exhortations/documents/hf_jp-ii_exh_14091995_ecclesia-in-africa_po.html

Louvor a Nossa Senhora da Consolata

fratresinunum

Para a piedade católica uma das formas de manifestação externa é a realização de procissões, como acto de fé, amor e devoção.

Cientes desta realidade os fiéis da Comunidade Nossa Senhora da Consolata do bairro da Bunhiça, manifestaram com autenticidade sua fé através de uma procissão em agradecimento à padroeira.

Esta decorreu pelas vias principais do perímetro da comunidade, estima-se que cerca de 150 pessoas participaram, sem contar aqueles que, atraídos pelo aspecto encantador deste devoto e singelo percurso religioso, seguiam-no pelas beiradas.

Aliados muitas vezes aos vibrantes cantos em coro do povo, os Arautos do Evangelho contribuíram com sua orquestra musical.

consolata2

Tão festivo e piedoso estava o ambiente, que, apesar do característico e causticante sol em África, o astro rei não se fez perceber, os fiéis sentiam-se como que protegidos por um refrigério espiritual emanado do manto de Nossa Senhora da Consolata e, alentados pela presença mística do seu Divino Filho, pois, Ele próprio numa passagem da Escritura assim nos ensinava: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome Eu estarei no meio deles”. (Mt 18,20)

como é belo os irmãos viverem juntos – fratresinunum

Novos diáconos

Padre Wagner Morato, EP

A solenidade do nascimento de São João Batista, 24/06, foi a data escolhida pela Arquidiocese de Maputo em Moçambique para a ordenação de novos diáconos ocorrida na Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Conceição.

“Portanto, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais encarregaremos este ofício. Nós atenderemos sem cessar à oração e ao ministério da palavra”. (At 6, 3-4)

O diaconato é o primeiro grau do sacramento da ordem que antecede o presbiterato e o episcopado, dignidade daqueles que compõem a hierarquia da Igreja Católica.

Ao deixar sua condição de leigo o diácono passa a fazer parte do clero, sacramento que imprime caráter de forma indelével por toda a eternidade.

Os apóstolos foram os mais infatigáveis do Evangelho, sendo assim, com o tempo escasso para dedicarem-se à oração devido a sua prodigalidade para com o próximo, instruíram diáconos que os ajudassem nas obras exteriores, para poderem ter maior dedicação à oração e à pregação.

arautos do evangelho_diáconos

Em África, mais três diáconos foram ordenados para o serviço do altar do Senhor durante a Celebração Eucarística presidida pelo arcebispo de Maputo, Dom Francisco Chimoio, com a participação de aproximadamente 1500 fiéis, cerca de 30 sacerdotes concelebrantes, além dos bispos eméritos de Pemba e Tete. Neste dia de alegria para a arquidiocese honrou a todos com sua presença, sua eminência o cardeal emérito Dom Alexandre dos Santos.

Transcorrida a liturgia própria a celebração, um dos diáconos recém ordenados lembrou nos agradecimentos finais uma frase muito significativa de Bento XVI quando se dirigia a um conjunto de seminaristas: “Quem quer tornar-se sacerdote deve ser sobretudo um homem de Deus!”

Este belo dia nos traz a mente e ao coração uma profunda gratidão a Deus por ter sido João o precursor de Cristo, antecedendo o Salvador que por nós morreu na cruz.

Arautos-do-Evangelho_Maputo

Grandeza João a tinha, porém, a despretenção sobrepunha suas grandes virtudes as quais o homens se maravilharam ao longo da história. Foi o predito pelos profetas, anunciado por um anjo, nascido de pais santos e nobres apesar de idosos e estéreis, preparou o caminho ao Redentor no deserto. Muitos o consideraram o mais importante de todos, porém colocou acima de si Aquele que é o mais humilde de todos declarando não ser digno de desatar-Lhe as sandálias. (Mt, 3,11

____________

Monsenhor João Clá  e as ordenações em Arautos do Evangelho

Uma tarde em família


Família_Arautos do Evangelho

“Que alegria quando me disseram vamos à casa do Senhor.”(Sl 121)

Esta frase sagrada bem exprime o sentimento de muitos familiares que visitaram no dia 17/06, a casa de formação dos Arautos do Evangelho em Moçambique, e estiveram junto do altar, próximos a “Casa do Senhor”, onde foi celebrada a Santa Missa pelo sacerdote coordenador de nossa associação em África, Pe. Wagner Morato Menezes, EP.

Capela dos Arautos do Evangelho em Maputo

Nada melhor, para um pai ou para uma mãe, do que participar de algumas das atividades de seus próprios filhos, para conhecer assim, o ambiente salutar que frequentam e presenciar o benefício cultural, moral e religioso de que são alvo a cada semana.

“Fugit irreparabili tempus” (o tempo foge irreparavelmente) diz o provérbio latino. Se tivéssemos o mesmo privilégio de Josué: “O sol parou no meio do céu, e não se apressou a pôr-se pelo espaço de quase um dia inteiro”(Js 10,13); este dom possibilitaria o bom convívio na Casa dos Arautos entre pais e filhos por mais instantes, não só um fim de tarde…

*          *          *

Família_Arautos do Evangelho

Dom Bosco descreve uma escola ideal

O nosso zelo deve estender-se ao próximo em geral, contudo, se consideramos o nosso apostolado específico em prol da educação cristã da juventude, veremos crescer desmedidamente a obrigação de cultivar todas as virtudes, para dar aquele bom exemplo de vida virtuosa, que é o primeiro fator de bom êxito na difícil missão de educar e formar cristãmente os jovens.

Numa escola continuamente iluminada pelo pensamento de Deus, do modo mais límpido e atraente, – porque não é a virtude de aspecto carrancudo e de face rígida e fria, mas a verdadeira virtude, que é alegre e exultante, resplandecente de bondade natural, aquela que fascina e arrebata as almas juvenis – florescem naturalmente os santos entusiasmos e as vivas aspirações a um teor de vida virtuosa e santa.

O Monsenhor João Clá Dias desejou muito que os Arautos do Evangelho tivessem seus cooperadores: famílias que nos tempos disponíveis fazem seu apostolado junto à sociedade, segundo o carisma dos Arautos do Evangelho.

Conselho de São João Bosco aos educadores

1-Escola Primária

Há pouco comemorou-se em Moçambique o Dia da Criança, muitas instiuições de ensino se movimentaram no dia 1º de junho, a fim de promover neste feriado um momento de alegria e descanso aos pequeninos que se empenharam em estudar as disciplinas curriculares ao longo deste ano.

Entre as várias atividades, destacamos algumas apresentações musicais ocorridas em alguns recintos de ensino infantil e juvenil em Maputo, por parte dos Arautos do Evangelho que atuam em África, entre eles: Escola Primária “1º de Maio”, Escola Primária Completa do Jardim e Creche “Raio de Sol”; este último estabelecimento teve sua festividade na mesma semana e contou com a presença das Irmãs Salesianas.

2-Escola Completa

Bem sugestivo para esta ocasião, em que mestres e alunos tiveram uma pausa nos estudos, é o conselho de um grande educador e fundador da grande família salesiana, São João Bosco, a seguir:

*          *          *

“Se queremos o verdadeiro bem de nossos alunos e levá-los ao cumprimento de seus deveres, é indispensável jamais vos esquecerdes de que representais os pais desta querida juventude. Ela foi sempre o terno objeto dos meus trabalhos, dos meus estudos e do meu ministério sacerdotal.

Quantas vezes, meus filhos, no decurso de toda a minha vida, tive de me convencer desta grande verdade! É mais fácil encolerizar-se do que ter paciência, é mais fácil ameaçar uma criança do que persuadi-la. Direi até que é mais cômodo, para nossa impaciência e nossa soberba, é mais cômodo castigar os que resistem do que corrigi-los, suportando-os com firmeza e suavidade.

Consideremos como sendo nossos filhos aqueles sobre os quais exercemos certo poder. Ponhamo-nos a seu serviço, assim como Jesus, que veio para obedecer e não para dar ordens. Envergonhemo-nos de tudo o que nos possa dar aparência de dominadores; e se algum domínio exercemos sobre eles, é para melhor os servirmos.

8-Escola Completa

É assim como Jesus procedia com seus apóstolos. Tolerava-os na sua ignorância e rudeza, e até mesmo na sua pouca fidelidade. A afeição e a familiaridade com que tratava os pecadores eram tais que em alguns causava espanto, em outros causava escândalo, mas em muitos infundia a esperança de receber o perdão de Deus. Por isso nos ordenou que aprendêssemos d’Ele a ser mansos e humildes de coração!”

Escola Primária


Na Solenidade da Ssma. Trindade 62 Primeiras Comunhões

comunhão_Arautos do Evangelho

No  último dia 3 de junho,  no período matinal, decorria na Comunidade  Beato  José Alamano pertencente a Paróquia da Sagrada Família, no bairro da Machava em Maputo, a solene Celebração  Eucarística, em honra da  Santíssima Trindade.

Nessa celebração reinava um clima de intensa piedade que se somava ao momento ímpar da vida de 62 crianças que iriam receber a sua Primeira Comunhão!

O reverendo Pe. Wagner Morato, EP presidiu a celebração e endereçou edificantes palavras à assembleia, em especial aos neo-comungantes ressaltando a importância do Sacramento da Eucaristia em nossa  vida, um dos maiores tesouros que podemos encontrar na face da terra!

comunhão2

Arautos do Evangelho tem sua igreja elevada à Basílica Menor

Alegria na grande família dos Arautos do Evangelho em todo os países, onde estão presentes. A igreja de Nossa Senhora do Rosário, situada no município de Caieiras, São Paulo  é elevada à categoria de Basílica Menor.

A TV Arautos do Evangelho transmite todos os domingos às 11h00 (Brasília) missa ao vivo diretamente da Basílica em: www.arautos.org.br/tv/live

__________________________________

A igreja de Nossa Senhora do rosário de Fátima, dos Arautos do Evangelho, em Caieiras foi elevada à categoria de Basílica Menor nesse 24 de maio, festa de Nossa Senhora Auxiliadora.

Basílica_Menor_Arautos_do_EvangelhoO título é concedido pela Santa Sé a templos católicos que sobressaiam na diocese à vida litúrgica e que recebem grande números de fiéis.

A missa da elevação da Basílica Menor foi celebrada por Dom Sérgio Aparecido Colombo, bispo diocesano de Bragança Paulista, com a participação de grande número de fiéis com muita solenidade.

Por que Basílica menor?

Entre os documentos analisados pela Santa Sé como motivos pelos quais uma igreja, com grande privilégio, é condecorada com o título de Basílica menor, encontram-se: historicidade, centro de peregrinações ou algo fato miraculoso.Um outro motivo também requisitado é a beleza artística do templol, possivelmente a única no Brasil no estilo gótico policromado. Seu inspirador é o Monsenhor João Cá Dias, fundador dos Arautos do Evangelho.

A igreja é uma jóia de cores e formas, em estilo gótico!

Privilégio

Além de expressar a união do povo de Deus com o Papa, a Basílica Menor tem o poder de conceder indulgências àqueles que obedecerem as disposições estabelecidas para as indulgências aplicadas às basílicas menores, sabendo que o título da igreja será agregado à Basílica Papal de Santa Maria Maggiore (à qual já era afiliada, mas em dignidade muito menor à de agora) e, portanto, visitando a Igreja Nossa Senhora do Rosário, os fiéis lucrarão benefícios espirituais tal como estivesse na Basílica Liberiana.

Obrigado, Monsenhor João Clá!

Reproduzimos uma matéria editada em AL Notícias, sobre o fundo Misericórdia dos Arautos do Evangelho.

lo Sprinter doado pelo Fundo Misericórdia  Arautos do Evangelho.

Após uma viagem de mais de 2000 km, de São Paulo a Ichu,  os integrantes dos Arautos chegaram na APAE, trazendo o novo veículo que será utilizado para transportar as crianças da instituição.

Com muita alegria foi recebida a equipe formada pelo Padre Almir Scamparin, Silfredo Guerra – Assessor Adjunto, Jorge Martinez e Sérgio Mujazahi (Comunicadores).

Para dar início ao evento a Professora Luci Gordiano falou um pouco da história da entidade, da luta que ela teve para que a APAE fosse implantada com o objetivo de cuidar das pessoas portadoras de necessidades especiais, a exemplo do seu filho Anchieta.

A missa foi iniciada pelo Padre Jairo (Pároco de Ichu),  que passou em seguida para o Padre Almir fazer a Liturgia da Palavra.

O Padre Almir falou da importância de ter fé, de acreditar e lutar por seus ideais. Para ele a APAE de Ichu demonstrou a fé e a esperança em Deus. Sei da expectativa que ficou nos irmãos ichuenses que aguardavam a nossa chegada ontem, mas o tempo não é nosso e sim de Deus e hoje estamos aqui para realizar este sonho.

Quero agradecer em nome dos Arautos do Evangelho, especialmente do nosso fundador Mons. João Clá Dias

Houve uma apresentação teatral com os adolescentes Lylian Gabriele e Otávio Elvis falando sobre como rezar o Terço e a importância do mesmo na vida dos Cristãos.

A Professora Márcia Jeane foi convidada para cantar o Hino da APAE local criado em cima  da música É preciso saber viver de Roberto Carlos

Algumas crianças da APAE fizeram uma encenação em homagem a Nossa Senhora pela graça recebida.

A Professora Auristela Muniz, representando a família apaeana, falou do quanto aquele veículo iria servir para a entidade. Ela parbenizou a professora Luci pela iniciativa de lutar para a  instalação da APAE. Agradeceu também a todos os professores e funcionários que trabalham por amor, já que a remuneração é muito pequena. Em especial destacou o empenho de Manoel Nascimento (Neca), professora Zudivalda e Professora Zulman que é a atual Presidente.

Encerrada a Missa todos foram para fora a fim de acompanharem a oração e a benção do Padre Almir, que pediu a proteção de Deus, rogando que nenhum mal aconteça com as pessoas que farão uso do novo veículo.

Em seguida Padre Almir passou as chaves da Sprinter para a Presidente da APAE professora Zulman Castro.

Professora Zulman lembrou que infelizmente o outro veículo da entidade está com sérios problemas no motor e o valor para consertá-lo é alto, não sendo possível no momento. “Essa doação feita pelos Arautos do Evagelho foi mais uma benção de Deus sobre nós”, afirmou a Presidente.

Cantando e  dançando alunos, professores, direção e comunidade voltaram para o pátio felizes com o novo veículo

Entrevistas para o AL Notícias

Padre Jairo

Padre Jairo disse que o momento era uma demonstração de fé, porque ajudando aos irmãos, nós somos ajudados e beneficiados. Portanto diante desse momento eu faço apelo a toda comunidade ichuense a continuar ajudando a APAE que tem esse trabalho maravilhoso com pessoas especiais e por conta desse trabalho a ajuda não vem só de dentro de Ichu, mas de pessoas que ficam sensibilizadas.

Para nós é um motivo de alegria, se outras pessoas se empenharem, para que ajudando a Igreja do nosso Senhor Jesus Cristo na pessoa do necessitado, agente possa ser ajudado por ele diante da nossa necessidade. Agradecemos ao Fundo de Misericórdia Arautos do Evangelho e a direção da APAE por essa iniciativa e é claro por contarem com a graça de Deus de serem atendidas.

Padre Almir Scamparin

Nós estamos chegando depois de uma viagem longa, mas com muita alegria de poder estar aqui nessa cidade de Ichu e entregar um veículo solicitado pela APAE.

O Fundo Misericórdia Arautos do Evangelho atende especificamente as entidades carentes ligadas a Igreja, e por isso que recebemos o pedido da APAE com uma solicitação do Padre Jairo e o próprio Bispo de Serrinha Dom Otorrino Assolari e então foi analisado pela Diretoria e vendo a necessidade da entidade em ter um transporte para as crianças excepcionais,  eles resolveram fazer na íntegra essa doação.

É um veículo bem cuidado que foi tirado da frota dos Arautos, mas atendendo a essa solicitação, pois esse é o nosso objetivo, ajudar os necessitados, as pessoas carentes e vinculadas com a Igreja Católica Apostólica Romana.

Silfredo Guerra (Assessor Adjunto dos Arautos)

Foi uma coisa muito interessante, porque nós íamos enviar esse carro em cima de uma carreta, mas observando a carência, achamos melhor vir diretamente e dar uma força, uma palavra de conforto e apoio para o povo ichuense. Com essa viagem iremos mostrar através da TV Arautos que o Brasil é um país rico, embora, as suas riquezas não sejam bem distribuídas.

Chegamos aqui e encontramos uma acolhida de primeira, um povo animado e contente apesar da luta e da seca que a região vem enfrentando.

Eu avalio como nota dez o carisma dessa comunidade, e espero que este pequeno presente possa representar muito, não só para a APAE e sim todo município de Ichu.

Por: André Luiz – AL Notícias com a colaboração de Cristian Leide (PASCOM).

Outras Imagens:

5 Responses to Ichu: Realizada na APAE Missa em Ação de Graças pelo recebimento de uma Sprinter

  1. Ilanna Oliveira says:

    Essa foi uma grande realização.
    Maais que merecidoo. .
    Que Deus Abençõe cada vez mais a APAE que faz um trabalho magnífico em prol dessas “CRIANÇAS ESPECIAIS”.
    E também a Associação Arautos do Evagelho pela doação do carro.
    Sem palavras.
    PARABÉNS a todos!!!
    a APAE de Ichu merecee.

  2. antonio carlos says:

    eu assino embaixo. são muitos competentes que deus abençoe a todos que trabalhão pela apae

  3. DORIVAL BATISTA DA SILVA says:

    Que bom…ainda se tem muita gente boa neste mundo, Zuma! ficou ótima na foto, parabens Presidente, parabens a todos….

  4. parabens a apae que jesus ilunine a todos voces e que possam desfrutar desse veiculo tao abençoado com muita fe e alegria a cada momento que usarem esse veiculo. voces mereçem abraçossssssss

    • Leno Rios says:

      Que Deus abénçoe esse presente que apae de ichu recebeu e que possa receber outros para fazer a alegria dos alunos da apae e de toda comunidade de ichu. parabéns a toda a diretoria da apae de ichu pelo trabalho prestado a essa entidade

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  • Eventos

  • Eventos

  • Utilidade Pública

  • Parceiro

  • Parceiro

  • Parceiro

  • Parceiro

  • Parceiro

  • Esse Blog abraçou a “Casa que o amor construiu”

  • Parceiro

  • Pesquisar

  • Anúncios Google

  • Google

  • Facebook

  • Site Rádio Independente

  • DEUS É FIEL E JUSTO!

  • Tempo na Região

  • Parceiro

  • Parceiro

Milhares de fiéis em Namaacha nesse 13 de maio.

Milhares de peregrinos compareceram ao Santuário de Namaacha pela comemoração deste 13 de maio. O Santuário de Nossa Senhora de Fátima localiza-se nesse distrito, próximo namaachaa capital Maputo. Já no doze de maio pela manhã podia-se ver pela estrada centenas de peregrinos que percorrem à pé uma longa distância testemunhado sua fé.
Com a presença de D. Francisco Chimoio, o Secretário da Nunciatura em Timor Leste Monsenhor Rodrigo Bilbao, inúmeros padres e religiosos celebrou-se a Santa Missa, que foi antecedida por uma Via Sacra. No final milhares de fiéis participaram da procissão luminosa, que se estendeu pela esplanada do Santuário que nesse ano completa 70 anos de sua construção.

Moçambique recebe São João Bosco

gaudium2

A peregrinação da relíquia de São João Bosco, que percorre o mundo chegou a Moçambique. Igrejas, colégios, obras sociais salesianas receberam com cânticos e muito fervor a urna contendo a imagem do santo. A iniciativa da peregrinação da relíquia é do Reitor-Mor dos Salesianos, Padre Paschoal Chávez, em preparação ao Bicentenário donascimento de Dom Bosco, que correrá em 2015. Foi no dia 25 de abril de 2010, na cidade de Turim, que a imagem peregrina com a relíquia do santo foi benzida na basílica de Nossa Senhora Auxiliadora e percorrerá todos os países onde está presente a família salesiana. O rosto de Dom Bosco da imagem que está na urna foi reproduzido a partir da máscara que o artista Cellini realizou no mesmo dia da morte de Dom Bosco. Dom Bosco pai inspirador e fundador de um vasto movimento que trabalha de diversos modos em favor da juventude. Fundou não só a sociedade de São Francisco de Sales, como também o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora e a Associação dos Cooperadores Salesianos. Em Moçambique encontramos: Salesianos (sdb); Filhas de Maria Auxiliadora (fma); Salesianos cooperadores (sscc); Antigos Alunos e Alunas de D. Bosco e das Filhas de Maria Auxiliadora (aa.aa); Associação das devotas de Maria Auxiliadora (admas).

gaudium1

gaudium2

A Via Sacra não é coisa do passado…

arautos_africa

A Via-Sacra não é uma coisa que pertence ao passado e a um determinado ponto da terra. A cruz do Senhor abraça o mundo; a sua “Via-Crucis” atravessa os continentes e os tempos. Na Via-Sacra não podemos ser apenas espectadores. Também nós estamos incluídos, por isso devemos procurar o nosso lugar: onde estamos?

Na “Via Crucis” não existe a possibilidade de ser neutro. Pilatos, o intelectual céptico, procurou ser neutro, ficar de fora; mas, precisamente assim, tomou posição contra a justiça, para não pôr em risco a sua carreira.

Devemos procurar o nosso lugar.

No espelho da cruz vimos todos os sofrimentos da humanidade de hoje. Na cruz de Cristo vimos hoje o sofrimento das crianças abandonadas, abusadas; as ameaças contra a família; a divisão do mundo na soberba dos ricos que não vêem Lázaro diante da porta e a miséria de tantos que sofrem fome e sede.

Mas vimos também “estações” de consolação. Vimos a Mãe, cuja bondade permanece fiel até à morte, e além da morte. Vimos a mulher corajosa que está diante do Senhor e não tem medo de mostrar a solidariedade com este Sofredor. Vimos Simão, o Cireneu, um africano, que carrega com Jesus a cruz.

Vimos, por fim, através destas “estações” de consolação, que, assim como os sofrimentos não terminam, também as consolações não terminam. Vimos como, no “caminho da cruz”, Paulo encontrou o zelo da sua fé e acendeu a luz do amor. Vimos como Santo Agostinho encontrou o seu caminho: assim São Francisco de Assis, São Vicente de Paulo, São Maximiliano Kolbe, Madre Teresa de Calcutá. E também nós somos convidados a encontrar a nossa posição, a encontrar, com estes grandes, corajosos santos, o caminho de Jesus e para Jesus: o caminho da bondade, da verdade; a coragem do amor.

Peçamos ao Senhor que nos ajude a sermos “contagiados” pela sua misericórdia. Rezemos à Santa Mãe de Jesus, a Mãe da Misericórdia, para que nós também possamos ser homens e mulheres de misericórdia e, desta forma, contribuir para a salvação do mundo; para a salvação das criaturas; para sermos homens e mulheres de Deus. (Discurso após a Via-Sacra, na Sexta-Feira Santa,  14 de abril de 2006)

Estes luminosos ensinamentos  de SS. o Papa Bento XVI  sobre a Via-Sacra  são de molde a estimular todos aqueles que, no tempo litúrgico da Quaresma levam adiante esta prática tão piedosa e sempre estimulada pela Igreja ao longo dos séculos.

Assim, já há alguns anos  os Religiosos e Religiosas de Maputo se reúnem para percorrerem juntos as estações da Via-Sacra. A mesma tem se realizado na Casa das Irmãzinhas dos Anciãos Desamparados, no Bairro de Malhangalene.

Neste ano de 2012, a data fixada pela CIRM-CONFEREMO – organismo  que congrega todos os religiosos e religiosas em Moçambique – foi o  passado domingo,  dia 18.  Mais de duas centenas de pessoas – religiosos  e religiosas, acompanhados de aspirantes e noviços de dezenas de Congregações que se dedicam à vida missionária aqui em África – participaram  piedosamente  desta já tradicional Via-Sacra.  Após a 14ª. estação houve uma pausa para confissões. Os sacerdotes se dispuseram em diversos locais do parque da Casa e por longo tempo se dispuseram solicitamente para o sacramento da reconciliação.

arautos_maputo_via-sacra

Em seguida rezou-se a 15ª. estação dentro da Capela e, com a bênção final, todos retornaram às suas Casas, fortalecidos pela oração

Um verdadeiro amigo

Arautos do Evangelho _procissão em Maputo

Quem nunca quis ter um bom amigo com o qual tenha laços bem fortes e intermináveis Evidentemente é inútil querer dar uma resposta àquilo que é óbvio. De fato, qualquer pessoa deseja ter um verdadeiro amigo em quem possa depositar a sua confiança.

Entretanto, dizer que esse laço de amizade seja eterno é afirmar um absurdo porque com a morte rompem-se os liames de afinidades recíprocas. Porém, isso não é o que acontece entre amigos que tem a Deus com elo de união.

Conta-se que São João Bosco recebeu uma vez no seu Oratório um menino chamado Luis Orione e notando que este não tinha vocação salesiana, despediu-o dizendo que Deus o chamava para outros caminhos, e que ele mantivesse sempre a amizade com D. Bosco.

Mais de um século passou desde aquela data, mas eis que a amizade continua de pé. Nos arredores da cidade de Maputo amizade ainda continua de pé. Nos arredores da Cidade de Maputo, no discreto bairro de Bagamoio, em Moçambique, filhos de São Luis Orione celebram jubilosamente a festa do padroeiro de sua Paróquia. ‘’São João Bosco, rogai por nós!’’ foi a invocação múltiplas vezes rezada durante o terço processional acompanhado por centenas de paroquianos e precedido pelo quadro deste grande Santo.

cena2A procissão e a Santa Missa presidida pelo Pároco, Pe. Paulo José Damin e concelebrada pelo Pe. José Geraldo Silva (responsável pela Obra Dom Orione em Maputo) tiveram a presença do Grupo Coral da

Paróquia e da Banda dos Arautos do Evangelho que levaram até o trono de Dom Bosco os hinos de ações de graças neste dia de sua festa. Eis caro leitor mais uma mostra da durabilidade de tudo que é feito debaixo do manto da Santa Igreja. Os filhos de São Luis Orione em Maputo perpetuam o trato firmado entre o seu Fundador e São João Bosco.

DIRSON CASTIGO MACHAIEIE

Ano letivo!

colegio1
Já o ano letivo dava o seu arranque nos estabelecimentos de
ensino em Maputo quando numa bela tarde, a Escola de
Choupal borbulhava de júbilo ao receber um movimento de jovens
ostentando um belo traje. colegio2
Eram os Arautos do Evangelho que trazendos
os seus
instrumentos musicais levavam o sorriso aos olhos e a
alegria a seus pueris corações.
Na verdade, é munidos destes apetrechos que ante o agrado de
seus espectadores transmitem, pela música, a beleza da harmonia, da
ordem, da consciência pura, descortinando aos pequenos um horizonte
feito de maravilhas e inocência.
DIRSON CASTIGO MACHAIEIE

Os dois irmãos santos!

Hoje a Igreja celebra a memória de São Cirilo e São Metódio. A festa litúrgica dos dois irmãos de Salônica havia sido fixada pelo Papa Leão XIII no dia 7 de julho. Porém o Concílio Vaticano II, transferiu a festa para o dia 14 de fevereiro, data de nascimento para o céu de São Cirilo.

O Beato João Paulo II, na comemoração do undécimo centenário da obra de evangelização dos dois Santos, publicou a Carta Encíclica “Slavorum AposSAO CIRILO E SAO METODIO_.jpgtoli”, datada de 2 de junho de 1985. Com base nesse documento do Papa polonês, extraímos um pouco da história desses apóstolos dos Elavos.

Primórdios de uma vocação

Os dois irmãos nasceram na cidade de Salônica em pleno século IX.

Metódio, muito provavelmente recebeu por nome de batismo: Miguel. O mais velho dos irmãos nasceu entre 815 a 820. Constantino, mais conhecido por seu nome de religião, Cirilo, era o mais novo, tendo nascido por volta do ano de 827 ou 828.

O pai deles possuía um alto cargo na administração imperial, e as condições familiares abriam aos irmãos a perspectiva de uma carreira análoga. Metódio chegou a desempenhar o cargo de arcoente, quer dizer, o representante de uma das províncias da fronteira, onde habitavam muitos eslavos. Entretanto, no ano de 840, abandonou sua carreira para recolher-se em um dos mosteiros localizados no sopé do monte Olimpo, na Bitínia, conhecido como Montanha Sagrada.

Cirilo concluiu seus estudos em Bizâncio, onde após ter recusado brilhante carreira política, recebeu as ordens sacras.

Ainda jovem tornou-se secretário do Patriarca de Constantinopla e bibliotecário do Arquivo anexo à grande igreja de Santa Sofia, na mesma cidade.

Desejoso de dedicar-se mais aos estudos e à vida contemplativa, refugiou-se secretamente num mosteiro às margens do Mar Negro. Após seis meses foi descoberto, e persuadido a aceitar o ensino das disciplinas filosóficas na Escola superior de Constantinopla, o que lhe valeu o epíteto de Filósofo, do qual ainda hoje é conhecido.

Após ter bom êxito em uma missão junto aos sarracenos, retirou-se da vida pública e uniu-se ao irmão mais velho, para com ele partilhar da vida monástica.

Missão em Morávia

O príncipe Ratislau, da Grande Morávia, enviou ao imperador Miguel III uma petição, no sentido de enviar aos seus povos um bispo e mestre que estivesse em condições de explicar-lhes a verdadeira fé cristã na sua língua.

São Cirilo e São Metódio foram os escolhidos para a missão, e aceitaram-na prontamente. Por volta do ano de 863 chegaram à Grande Morávia, um estado que abrangia diversas populações eslavas da Europa Central, na encruzilhada das influências recíprocas entre o Oriente e o Ocidente.

Ali empreenderam a missão para a qual haviam sido enviados. Para tal levaram consigo os textos da Sagrada Escritura, indispensáveis para a celebração da Sagrada Liturgia, ordenados e traduzidos por eles em Língua paleoeslava e escritos com um novo alfabeto, elaborado por Constantino Filósofo (São Cirilo) e perfeitamente adequado à fonética daquela língua.

O Papa Adriano II aprovou os livros litúrgicos eslavos e ordenou que fossem depostos solenemente sobre o altar na igreja de Santa Maria ad Praesepe, hoje conhecida como Santa Maria Maior, e ordenou que fossem ordenados os discípulos que acompanhavam os dois missionários.

Morte de São Cirilo e prisão de São Metódio

São Cirilo caiu gravemente enfermo, e pode apenas emitir seus votos religiosos e endossar o hábito monástico, pois no dia 14 de fevereiro de 869, estando em Roma, entregou sua alma à Deus.

Suas últimas palavras haviam sido endereçadas a seu irmão Metódio: “Meu irmão, nós partilhávamos a mesma sorte, premindo o arado pelo mesmo sulco; eu agora vou cair no campo, ao terminar a minha jornada. Sei bem que tu amas muito a tua Montanha; mas vê lá, não abandones a tua atividade de ensino para voltar à Montanha. Na verdade, onde poderias tu alcançar melhor a tua salvação?”

Metódio foi consagrado bispo da antiga Diocese de Panômia e nomeado Legado Pontifício “ad gentes” (para as gentes eslavas), além de receber o título eclesiástico da Sede Episcopal de Sirmio, que fora restaurada.

Suas atividades pastorais foram interrompidas por ter sido injustamentSao Cirilo e Sao Metodio.JPGe acusado de ter invadido a jurisdição episcopal de outrem, o que lhe valeu dois anos de prisão, sendo libertado por uma intervenção pessoal do Papa João VIII.

O novo soberano da Grande Morávia, o príncipe Swatopluk, se opôs a liturgia eslava e insinuou nos meios de Roma, dúvidas à respeito da ortodoxia do novo Arcebispo.

Aprovação Pontifícia

Convocado ad limina Apostolorum, no ano de 880, para apresentar todo o assunto ao Pontífice João VIII, Metódio foi absolvido e obteve do Papa a publicação da Bula Industriae tuae, com a qual restituía, ao menos em sua substância, as prerrogativas reconhecidas à liturgia eslava pelo seu predecessor Adriano II.

De volta a Constantinopla, Metódio obteve reconhecimento análogo por parte do imperador bizantino e do patriarca Fócio, nessa época em total comunhão com Roma.

Dedicou os últimos anos de sua vida em novas traduções da Sagrada Escritura, dos livros litúrgicos, das obras dos Padres da Igreja e, ainda, da coletânea das leis eclesiásticas e civis bizantinas chamada Nomocanon.

Morte de São Metódio

Metódio faleceu em 6 de abril de 885, tendo antes nomeado seu discípulo Gorazd, como sucessor.

Em seu velório compareceram homens e mulheres, gente simples e poderosos, ricos e pobres, homens livres e escravos, viúvas e órfãos, estrangeiros e habitantes locais, sãos e doentes, constituindo uma multidão que, com lágrimas e cânticos (fúnebres), acompanhava ao local da sepultura o bom mestre e pastor, que se tinha feito tudo para todos, para salvar a todos.

O Beato João Paulo II em 31 de dezembro de 1980, com a Carta Apostólica Egregiae virtutis, proclamou-os co-padroeiros da Europa.

Por Emílio Portugal Coutinho

O sorvete do bosque

Captura de tela 2012-01-25 às 20.05.23

Que pequenez a do ser humano. Nasce mais débil e necessitando de cuidados maternos, que qualquer outra das espécies mamíferas. E ainda havendo desenvolvido todas as suas potencialidades físicas, lhe é imprescindível viver em comunidade, pois necessita dos trabalhos de seus semelhantes para sua subsistência. “Robisons Crusués” não existem muitos, provavelmente nenhum.

Ao mesmo tempo sua alma espiritual nos fala de sua grandeza. “O entendimento, no sentido passivo, é tal porque vem a ser todas as coisas”, diz Aristóteles no De Anima (Livro 3, cap. 8). O homem pode indagar pelas essências de tudo, desde um colibri até uma árvore, de um leão até qualquer ser humano, e nesse sentido a alma pode ser tudo, e assim, a alma é potencialmente e intencionalmente tudo.

Sorvete de frutas do bosque. 
Foto: Ulterior Epicure

E sobretudo, o homem tem uma apetência do maior de todos os bens, do Bem Infinito; suas tendências mais profundas só se saciam no infinito. O drogado busca no prazer de seu vício o gozo infinito, por isso quer mais e mais. O romântico quer um relacionamento que lhe dê uma estima, um afeto infinito. O santo busca que com a virtude esteja presente em sua alma o próprio Deus infinito. Temos sede do infinito, estamos “presos” ao infinito.

É claro que esta sede só será aplacada plenamente no céu: “Essa será a herança do vencedor: eu serei Deus para ele e ele será filho para mim”, diz o Apocalipse.

E então o que fazemos aqui na terra? Só esperando o céu? Não é esperar, é lutar por ele: “Desde os dias de João Batista até agora o Reino de Deus é coisa que se conquista, e os mais decididos são os que o conquistam” (Mt 11, 12).

Entretanto, são múltiplos os momentos de felicidade que temos aqui na terra e muitos deles relacionados com as criaturas, com as coisas criadas. Por exemplo, um rico sorvete de frutas do bosque, é algo que a quem agrada, dá uma simples, serena e casta felicidade. Mas, se eu acreditar que a felicidade infinita deve ser encontrada no sorvete de frutas do bosque, me saciarei dia após dia nele, e além do excesso de peso, e talvez de diabetes, o único que conseguirei será cansaço e uma sorvete-fobia.

O amor a Deus e o amor às criaturas

A conclusão sem matizes aí seria: distancia-te das criaturas, porque elas não te levam ao Criador. E isso é mentira. Quando Deus terminou a obra da criação viu que tudo era Bom, nos diz o Gênesis. Se era bom, era também belo. E quem fala de bondade e beleza, fala de reflexos da Bondade e da Beleza do Criador, por meio dos quais podemos remontar até o Absoluto.

Dizia Plinio Corrêa de Oliveira que quem ama o ser, quer dizer, os indivíduos e as coisas por onde elas legitimamente podem ser amadas, quem sabe que Deus existe e que tudo deve reportar-se a Deus, amando as criaturas já pratica um ato de amor a Deus. Ou seja, os atos de amor a Deus e às criaturas não são tão diversos quanto habitualmente se crê.

O problema é quando cremos que as criaturas são Deus. O pior, quando queremos encontrar no relacionamento com uma criatura ou com umas criaturas, a felicidade que só nos dará a possessão de Deus no Céu.

entardecer.jpg
Admirando um belo entardecer estarei 
praticando um ato de amor a Deus.

Mas se agora degusto com temperança meu sorvete de frutas do bosque, mais adiante contemplo encantado e com desinteresse, mas também com deleite um belo entardecer, depois admiro as qualidades que brilham em uma pessoa especial, admiro esses dons em si mesmos e não enquanto podem me proporcionar prazer, estarei praticando atos de amor a Deus. E esses atos me trarão felicidade verdadeira, profunda, espiritual, pré-figurativa da felicidade celestial.

Esses atos de amor a Deus nas criaturas me proporcionarão força para enfrentar as lutas, porque aqui nesta terra sempre haverá lutas. E essa via de amor a Deus tão pouco nos dispensa de usar os recursos aos sacramentos e à oração, grandíssimos presentes do Criador.

Entre as coisas criadas, as mais perfeitas são as que mais falam de Deus. Admirando o mais perfeito, nós vamos já aqui na terra nos tornando habitantes da Pátria Celestial.

Por Saúl Castiblanco.


Encontramos Da. Isaura!

Prezada Da. Arlinda,

DSC08725

Começamos esse nosso comunicado, com uma boa notícia! A senhora deve se lembrar que nos pediu que encontrássemos uns amigos seus, que moram em Maputo.

…Que nossa Senhora seja a nossa Guia para encontrar a Dona Isaura, ela já é idosa deve ter 80 ou mais anos. Ela é muito conhecida lá, no tempo que eu vivia lá, todas as pessoas batiam à sua porta a pedir ajuda, era de transporte, era de alimentos, trabalho etc. Também foi ela que me deu ajuda para sair de casa na altura da revolução, se não me engano 7 de Setembro, devo-lhe muito. Ela mora na Machava, mas na estrada que vai para o bairro Silva Cunha, que agora deve ter outro nome, pois eu já saí de lá a mais de 35 anos. O meu filho já foi lá à 3 anos e disse que havia uma placa a identificar a casa (FAGILDE) ela tem 4 filhos um António, outro não tenho certeza se é Diamantino, outro José, e o mais novo Benjamim. Mas alguns estão fora, mas pelo menos um está lá, não sei em que trabalha. Despeço-me pedindo desculpa de tanto incomodo, sei que o vosso tempo é precioso, que Maria e Seu filho Jesus vos ajude na vossa caminhado de apostolado. Que Nossa Senhora vos abençoe…

Os Arautos foram até o lugar indicado  pela senhora e os encontrou com saúde e saudades!

Abaixo postamos a foto de Da. Isaura e seu filho Adamantino

DSC08726

Temos o telefone da família, mas precisaríamos de um email para mandá-lo à senhora!

Reze pelos Arautos e passando por São Paulo faça-nos uma visita.